Novo Casa Verde e Amarela já começou! Veja juros e condições de pagamento

 

Novo Casa Verde e Amarela já começou! Veja juros e condições de pagamento

programa habitacional Casa Verde e Amarela, que substitui o programa Minha Casa, Minha Vida, já começou. Além da alteração no nome, sua chegada traz mudanças também para as taxas de juros, faixas de renda e modalidades de atendimento.

Segundo o diretor do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo, Joacyr Meiguetti, ainda que tenham sido muitas, as mudanças não foram tão expressivas.

“O projeto Casa Verde e Amarela é, basicamente uma continuidade do Minha Casa, Minha Vida. O que é importante porque dá segurança ao setor. No Brasil há um déficit de 8 milhões de unidades e um grande mercado consumidor. Sentimos na ponta uma retomada da economia e o aumento da procura desse tipo de imóvel”, explica.

 

Já o diretor da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Espírito Santo, Eduardo Fontes, acredita que a repaginação no programa é de grande expectativa para o setor neste ano.

“O ponto alto é a continuidade de um programa que beneficia muitas famílias no Espírito Santo. As condições de pagamento são vantajosas, já que é muito difícil ter uma grande quantidade de estoque pronta para esses empreendimentos, além de possuírem os menores juros do mercado imobiliário”, explica.

 

 

Mudanças do Casa Verde e Amarela

Quanto às mudanças nas faixas de renda, foi determinado que elas se dividam em três grupos. O primeiro é composto por famílias com renda de até R$ 2 mil.

O segundo, por famílias com renda entre R$ 2 mil e R$ 4 mil. O terceiro e último, famílias com renda de R$ 4 mil a R$ 7 mil.

A taxa de juros deu preferência para as regiões Norte e Nordeste, que receberam taxas menores. Confira:

 

 

Vale lembrar que para ter acesso ao programa Casa Verde Amarela é preciso ter inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal. O cadastro deve estar sempre atualizado. A lei dá preferência à imóveis nos nomes das mulheres da família.

Mas como bem explicou a Agência Câmara, “caberá ao regulamento federal definir os critérios de seleção dos beneficiários, as regras de preferência aplicáveis a famílias em situação de risco ou vulnerabilidade, que tenham a mulher como responsável pela unidade familiar ou de que façam parte pessoas com deficiência ou idosos.”

 

 

Outra novidade diz respeito a criação de linhas de crédito para reformas de casas prontas, e o aumento dos valores totais dos imóveis que poderão ser financiados.

O novo programa habitacional será gerenciado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e custeado por recursos orçamentários, de fundos habitacionais e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Ainda neste ano, também passarão por mudanças o programa social Bolsa Família, criado no Governo Lula. E o benefício auxílio emergencial, que será prorrogado com um novo nome, novo valor de parcelas e também um novo público.

 

Fonte: https://fdr.com.br/           

 

 

Deixe uma resposta